Um blogue pessoal mas... transmissível

15
Jan 09

Fui desafiado pelo Guga a compor uma lista de 8 coisas que desejava ver concretizadas ao longo deste ano. Confesso que não sou grande apologista destas correntes mas desafio é desafio e eu não gosto de desapontar os amigos, mesmo que virtuais...

 

Antes de mais, convém explicar os passos a seguir neste desafio:

 

1. Pensar e fazer uma lista com 8 coisas que sonho fazer ou que gostaria que se concretizassem neste ano de 2009;
2. Convidar 8 bloguistas a responder ao mesmo;
3. Comentar no blog de quem partiu o desafio;
4. Comentar no blog de quem desafiamos;
5. Mencionar as regras.

 
Aqui vão as 8 coisas que sonho ver realizadas ao longo de 2009, sem qualquer ordem de preferência pois todas elas são igualmente importantes para mim:

 

1. Continuar a ter saúde (é o desejo mais formulado nestas ocasiões mas não custa nada reforçar);

 

2. Amar e ser amado (se não puder ser com o M., então que encontre finalmente o grande amor da minha vida... fod*-se, já vai sendo tempo!);

 

3. Concluir o mestrado e arranjar novo emprego (a ver vamos...);

 

4. Aprender a gostar mais de mim (às vezes temos de ser narcisistas...);

 

5. Ser feliz (sonho tão simples e ao mesmo tempo tão díficil de concretizar...);

 

6. Fazer novos amigos (já comecei...);

 

7. Receber um prémio qualquer (pode ser o Euromilhões) ou uma herança inesperada (não haverá por aí uma tia solteirona e ricaça que eu desconheça?) para concretizar todos os sonhos que não estão nesta lista;

 

8. Fazer coisas que nunca fiz e nunca pensei fazer (suspeito que 2009 vai ser um ano de grandes mudanças!...).

 

E sendo novo nestas andanças não vou cumprir o segundo passo deste desafio e fazer o convite a alguns bloguistas que gosto de ler, porque a maior parte já foi desafiada a responder e não quero correr o risco de acharem que não tenho mais nada que fazer...

publicado por Pensador Insuspeito às 23:39

Já disse e volto a repetir que foste a melhor coisa que me aconteceu até hoje. No dia em que te conheci, no momento em que me tomaste nos teus braços e em que me roubaste o primeiro beijo, fiquei logo enfeitiçado por ti. Foram tantos os momentos lindos que passámos juntos… Momentos de verdadeira felicidade que ficarão para sempre gravados na minha memória e no meu coração, e que tão depressa não irei esquecer...

 

Eu pensei que o nosso amor fosse durar para sempre. Ainda penso que a tua ausência pode significar o regresso de um amor mais forte. Quem sabe?... Não acho que me tenha enganado a teu respeito. Nem acho que a chama do nosso amor se tenha extinguido. Apesar de tudo, ainda te preocupas comigo. É certo que me faltaste nos momentos em que eu mais precisei de ti. Sinto falta do teu ombro para desabafar. Sinto falta do teu carinho, do teu toque, do teu beijo. Sinto falta do teu corpo... Que tesão, meu Deus!... Se porventura a nossa chama se apagar mesmo, ainda assim terás sempre um lugar muito especial no meu coração. Mas eu quero manter a chama acesa. O futuro somos nós que o fazemos. As nossas escolhas ditam o nosso futuro.

 
Neste momento, eu estou preocupado contigo, pois sei que estás a sofrer mas o motivo continua a ser uma incógnita para mim. Dizes-me que estás longe de casa, afastado de tudo e de todos. Parece que não confias em mim nem em mais ninguém. Mas se tu não sentes vontade de falar comigo, não te posso obrigar a nada. Apenas quero que saibas que eu estarei sempre aqui para o que der e vier. Se precisares de um ombro amigo, não hesites em falar comigo.

Lembra-te que a vida sorriu para ti. Não lhe vires as costas. Lembra-te que a felicidade já bateu à porta do teu coração. Não deixes que o medo e a insegurança tomem conta da tua vida. Agarra-te a mim com todas as tuas forças. O que eu mais desejo neste momento é que os teus lindos olhos tristes voltem a recuperar a alegria de viver que dizias ter quando nos conhecemos. Não tenhas medo dos teus sentimentos. O que importa é o que o coração sente e não o que a cabeça e os outros possam pensar. O amor é mais forte do que tudo. Peço-te que sejas verdadeiro contigo mesmo e que não tenhas medo de ser feliz.
 
Naqueles dias em que nos entregámos um ao outro, tu trouxeste-me o amor e a alegria que faltavam na minha vida. E por isso eu digo que conhecer-te foi a melhor coisa que me aconteceu!!!
publicado por Pensador Insuspeito às 00:13

13
Jan 09

Xutos & Pontapés - 30 Anos

 

Parabéns pelos 30 anos de uma das mais emblemáticas bandas portuguesas de sempre! Deram o seu primeiro concerto quando eu ainda era um puto reguila e marcaram em termos musicais a minha adolescência (oh pá, estou mesmo a ficar cota!!!).

 

Parabéns Xutos & Pontapés e que contem outros tantos!

publicado por Pensador Insuspeito às 23:24

Vou confessar-vos algo sem interesse nenhum. Nem sei se o devia fazer, pelo menos neste momento. Tinha-vos dito que estou a atravessar uma fase complicada da minha vida. Sim, é verdade. A dor de uma separação muito recente ainda preenche de negro os meus dias. Estou a levantar-me do chão e por isso agarro-me a tudo, nem que seja a este cantinho insuspeito onde posso dizer tudo o que me vai na alma e no pensamento...

 

Foi no verão passado que conheci alguém que apesar de tudo ainda me é muito especial. Naqueles dias de Agosto, os nossos olhares cruzavam-se insistentemente com o desejo inconfessado de nos conhecermos pessoalmente. Alto, tímido, olhar penetrante e corpo atlético. Foi ele que deu o primeiro passo. Sem que eu esperasse, deu-me o contacto dele e assim começou uma bela história de amor. Combinámos através de sms um encontro ali no mesmo sítio em que nos conhecemos e em que surgiu pela primeira vez aquela atracção mútua que parecia querer suspender o tempo unicamente pelo desejo de que aquelas longas tardes de verão jamais acabassem para não ficarmos privados um do outro. Aquele primeiro encontro deixou-me sem palavras e fez despertar em mim sentimentos que há muito tinham adormecido. Sentir-me novamente amado e desejado por alguém foi a melhor coisa que me aconteceu nos últimos tempos. Aquela tarde de sábado em que falámos pela primeira vez mexeu comigo e regressei a casa com um sorriso rasgado nos lábios e uma alegria indizível no coração.

 

Desde então começámos a sair todos os fins-de-semana porque a nossa vida pessoal e profissional não nos permitia estar mais tempo juntos. Falávamos de tudo e de nada, riamos com a inocência dos primeiros anos, saíamos para jantar e curtir a noite num qualquer bar da moda. Era tão bom estar com ele frente a frente, só nós dois, olhos nos olhos, mãos nas mãos. Conversava com ele e perdia-me completamente no seu olhar, imaginando um futuro para nós dois em que pelo nosso amor pudéssemos enfrentar tudo e todos e rasgar horizontes insuspeitados. Num desses encontros, já sob o manto diáfano das estrelas e envolvidos pelo silêncio da noite, demos o primeiro de muitos beijos. Um beijo longo e desejado que resistiu ao tempo e à separação. Ainda hoje sinto o sabor dos seus lábios e o calor do seu corpo, ali junto ao mar, apenas com o barulho das ondas a entrecortar de espuma o afago das mãos e o desejo incontido que percorria os nossos corpos, ávidos de amor e de prazer. E o seu sorriso, tão tímido e tão lindo... Os seus olhos, tão tristes e tão expressivos...

 

A partir desse dia tudo se precipitou nas nossas vidas. O meu coração ficou irremediavelmente descompassado, os meus dias eram vividos em função do seu amor, a minha vida ganhou uma beleza que não sabia existir. Que se passaria comigo? Era simples e óbvio. Bastava render-me às evidências e escutar o que me dizia o coração: estava loucamente apaixonado pelo meu M.. Hoje, apesar da separação, continuo a dizer como nos dias em que a palavra amor enchia de beleza as nossas vidas: o teu anjo ama-te e tem imensas saudades tuas, meu diabinho!

publicado por Pensador Insuspeito às 00:32

 

Ontem fui ao cinema assistir ao tão aclamado filme "Austrália", que um amigo me tinha recomendado. Apesar de já ter lido algumas opiniões menos favoráveis a seu respeito, este é sem dúvida um filme arrebatador e emocionante. Realizado por Baz Luhrmann, considerado um realizador excessivo por muitos críticos de cinema, "Austrália" oferece-nos um excelente romance épico a transpirar classicismo por todo o lado. Considerado a mais cara superprodução australiana de todos os tempos, irá certamente merecer algumas nomeações para a próxima cerimónia da entrega dos Óscares. Na minha modesta opinião, espero sinceramente que consiga ganhar algumas das famosas estatuetas douradas porque o filme merece, já que é mesmo uma grande produção e está muitíssimo bem feito. Penso que "Austrália" contém todos os ingredientes para isso. É uma história de bravura, de coragem e de heroísmo, enquadrada por belíssimas paisagens e bons efeitos especiais. É um filme empolgante e que desde o princípio ao fim nos faz experimentar um autêntico turbilhão de emoções. Nos 166 minutos do filme é possível entristecermo-nos e angustiarmo-nos com os dramas das personagens, desejarmos aplaudir e soltar umas boas gargalhadas, e no final sentirmo-nos alegres com o happy end e, ao mesmo tempo, tristes por termos de nos despedir das personagens e de não as podermos acompanhar pelas suas vidas fora.

 

Nicole Kidman, uma das minhas actrizes favoritas, continua a ser uma presença extraordinária, transformando todas as suas personagens em imagens fortíssimas e únicas. Para já não falar da excelente interpretação de Hugh Jackman, considerado um dos homens mais sexys de 2008, e da grande revelação do pequeno Brandon Walters. "Austrália" é, por tudo isto, um dos filmes mais marcantes do cinema do último ano. Para mim, é sem dúvida alguma um daqueles filmes que me faz perceber melhor a razão de amar a Sétima Arte. Eu vi, gostei, e recomendo vivamente que vejam também este grandioso filme.

 

 

 

 

publicado por Pensador Insuspeito às 00:19

12
Jan 09

 

Este soneto de Florbela Espanca retrata de modo desconcertante o meu actual estado de espírito...

 

Saudades! Sim... talvez... e porque não?...
Se o nosso sonho foi tão alto e forte
Que bem pensara vê-lo até à morte
Deslumbrar-me de luz o coração!
 
Esquecer! Para quê?... Ah! como é vão!
Que tudo isso, Amor, nos não importe.
Se ele deixou beleza que conforte
Deve-nos ser sagrado como pão!
 
Quantas vezes, Amor, já te esqueci,
Para mais doidamente me lembrar,
Mais doidamente me lembrar de ti!
 
E quem dera que fosse sempre assim:
Quanto menos quisesse recordar
Mais a saudade andasse presa a mim!
 
Florbela Espanca

11
Jan 09

Ontem fui aos saldos. Não por uma necessidade urgente nem por um impulso irresistível. Quem me conhece sabe que não sou assim. Mas na fase complicada que estou a viver tenho de arranjar os pretextos mais disparatados para sair de casa.

 

E assim foi. Peguei em mim e pus-me a caminho. Quando cheguei ao epicentro do consumo cá da urbe deparo-me logo com o cenário inevitável. Em todas as vitrinas de loja que ostentassem aquela palavra mágica apinhavam-se as mais variadas gentes, acotovelando-se e olhando-se furiosamente como quem protege a sua cria ou tenta garantir o seu lugar ao sol. Lá dentro o cenário não era melhor. Muito pelo contrário. Roupa e mais roupa, amontoada por todo o lado, compradores de ocasião circulando avidamente de prateleira em prateleira na expectativa de encontrar o tamanho que já não existia, funcionários a fingir uma calma que há muito tinham perdido, miúdos prestes a desencadear uma nova Intifada (sim, é verdade!) só porque um deles passou à frente na fila para o pagamento.

 

Com tudo isto, acabei por comprar apenas um livro e uma camisa que nem sequer estava em saldo... Assim que pude, fugi dali o mais depressa que pude e vim refugiar-me no meu cantinho. É que os bárbaros andem aí...

publicado por Pensador Insuspeito às 00:34

10
Jan 09

Hoje acordei assim. Melancólico. Apaixonado. Nunca pensei sentir-me assim. Sentir tanta saudade de alguém. Nestes momentos, a saudade para mim é um misto de tristeza e alegria. Tristeza por não ter a pessoa que amo ao meu lado e alegria porque é nestas alturas que recordo com mais insistência os momentos bonitos que passámos juntos e que ainda me fazem sorrir. Enfim, é simplesmente a saudade, um sentimento tão nosso e tão difícil de definir... Um dia destes voltarei a falar-vos disto.

 

Por hoje fica aqui a letra da música que escolhi para colocar no meu blog. Para mim é uma música lindíssima e que além disso me transmite uma grande paz e tranquilidade. Preferi postar a letra na língua original porque assim mantém toda a sua força e profundidade. Espero que gostem.

 

 800×600

 

Titulo da Música: Like A Rose On The Grave Of Love 
 

Intérprete: Xandria
 

 

Come like the dusk
Like a rose on the grave of love
You are my lust
Like a rose on the grave of love

I curse the day I first saw you
Like a rose that is born to bloom
Don't look at me the way you do
Like the roses, they fear the gloom

Your thorns, they kissed my blood
Your beauty heals, your beauty kills
And who would know better than I do?
Pretend you love me!

Indeed, reality seems far
When a rose is in love with you
Slaves of our hearts, that's what we are
We loved and died where roses grew

They watched us silently
A rose is free, a rose is wild
And who would know better than I do?
Roses are not made for love

publicado por Pensador Insuspeito às 23:34

 

 

Com este primeiro pensamento inicio a minha incursão pelo espaço cibernáutico. Confesso que já há algum tempo fervilhava na minha cabeça a ideia de vir a criar um blogue. No entanto, as contingências da vida e a falta de tempo (sempre a mesma desculpa!) fizeram com que adiasse sine die essa minha pretensão. Com o aproximar do fim de ano começou de novo a imergir na minha cabeça essa ideia que agora se está a concretizar. Posso assim dizer que o meu primeiro objectivo para 2009 está alcançado.

 

Este será um blogue despretensioso sobre a minha vida e o modo como vejo o mundo que me rodeia. Não terá quaisquer pretensões literárias nem pretenderá formar opiniões. É apenas o cantinho onde vou partilhando com quem tiver paciência para me ler os meus pensamentos sobre as coisas simples e banais da vida e o que vou observando à minha volta. Será apenas uma opinião no meio de tantas outras...

 

A todos os que passarem por aqui, espero sinceramente que apreciem o que vou pensando e escrevendo. Apenas posso dizer que aqui não vou fingir o que não sou nem escrever o que não sinto. Para isso já basta passar o resto do tempo a carregar uma máscara que esconde dos outros o que na realidade sou. Pelo menos aqui posso ser eu próprio, sem subterfúgios nem medos. Aqui posso ser um pensador insuspeito... Ou talvez não...

 

publicado por Pensador Insuspeito às 20:45

Janeiro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

14

21
23



subscrever feeds
pensamentos que aqui deixaram
Olá!Também entrei hoje oficialmente de férias!=)E ...
Hmmm...simplesmnete o tipo ve a sua realidade ameç...
Que vergonha...só agora reparei que estás de volta...
Boas férias...e boa música.
Não sei se posso dizer que sou um frequentador da ...
Pinguim, ainda bem que gostaste. O tema é aliciant...
Toby, realmente com mentes tão tortuosas só se pod...
J. Coelho, como disse na resposta ao comentário an...
João, claro que o engate é independente dos locais...
Gostei imenso do teu texto.Parabéns! Abraço.
subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO